Post Aleatório . 02-08-2010

Amigos antigos, amigos novos

Amigas antigas, provavelmente eternas:Taís, eu e Elys Nunca fui muito chegada em andar com turmas grandes. De alguma forma cresci imune à necessidade que a maioria das pessoas têm de se sentirem aceitas, adoradas por muitos, de se sentirem sempre em movimento. Fico muito bem saindo sozinha, mergulhando...

+ Leia na íntegra

Em sentido horário: eu, Marney, Aline e Elys

The world is just illusion… trying to change you

Categorias: ...

Postado por Lux em: 19-08-2015

0

Posologia do renascimento

Categorias: ...

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Postado por Lux em: 12-08-2015

0

Se você só me lê aqui, não sabe que mês passado eu quebrei – a ponto de quase, muito quase mesmo pular de uma ponte. Ou algo mais sofisticado que isso, porém não menos mortal. Só mais limpo.

Não vou entrar em detalhes agora. Resumo aos pontos principais:

  • Acabei hospitalizada
  • Precisei ser “desligada” via remédios pra não me matar
  • Estou sendo tratada seriamente por psiquiatra e psicoanalista
  • Estou melhor e há a promessa de não ficarem seqüelas

Esse post é mais pra falar um pouco dos remédios. Sempre tive um enorme preconceito com tudo que mexe com sistema nervoso central – tenho uma mãe com epilepsia, que toma fenobarbital (o famoso Gardenal) desde sempre, e que entendo que hoje tem problemas cognitivos por causa disso. Nunca usei drogas por receio de danificar meu SNC. Mas enfim, em uma crise, que outra alternativa você tem?

Vamos lá, resumo do resumo:

  • Rivotril – clonazepam (você me salvou, mas te odeio!)
    • Na dose que foi receitada inicialmente, no pronto socorro (0,5mg), só conseguiu gerar mais desespero. Não me apagou e intensificou a crise.
    • Nas doses corretas, me sedou e apagou completamente, tendo sido o “milagre” que eu diria que salvou a minha vida. Isso variou de 2mg a 4mg
    • Quando comecei a recobrar a lucidez, comecei a odiar também o rivotril – ele te seda de um jeito que é impossível viver. Assim, ele foi trocado por:
  • Valium – diazepam (sinto que não faz efeito nenhum, mas sei que faz)
    • Assim como o Rivotril, muita gente toma Valium pra puro entretenimento. Eu não sinto nada quando tomo. Não relaxo. Não sinto sono. Não sinto nada.
    • Diz o psiquiatra que se eu não sinto nada, é porque ainda preciso muito do remédio. Se desse alguma sensação extra de relaxamento, algum barato, é porque ele estava me deixando acima “do zero”.
    • Estou tomando de 10mg a 20mg, conforme a fase e a qualidade de sono. Agora tentando manter em 10mg, pra em breve começar a reduzir.
    • Amei a troca do Rivotril pro Valium simplesmente porque me senti alforriada – Rivotril é amarras, sedação. Valium trouxe liberdade. Mas só. Agora eu acordo de noite. Toda noite.
  • Lexapro/Espran – Escitalopram (deu certo mas trouxe efeitos colaterais)
    • Esse foi o primeiro antidepressivo receitado. Mexe somente com a serotonina, e estava funcionando muito bem.
    • Foi trocado porque me falta pique, e porque tive um efeito colateral de visão borrada, resultando em dores de cabeça terríveis.
    • Estava tomando 10mg, a ponto de aumentar a dose (porque é o que se faz com antidepressivos, aumenta conforme o tempo)
  • Venlift OD – Venlafaxina (por enquanto, só alegria)
    • Esse foi o antidepressivo que substituiu o Escitalopram. Faz o mesmo com a serotonina, porém também com um pouco de adrenalina. Teoricamente, dá mais pique.
    • Estou há uma semana nele e, tirando uma noite terrível de insônia, não tive efeitos colaterais. Seguiremos com ele aumentando a dose, pra ver no que dá.
    • Até então tenho me sentido melhor, com mais energia. Ainda com muito pouca energia, mas mais.
    • Estou tomando 75mg e, a partir de amanha, 112,5mg. Em breve, subirei pra 150mg.
  • Carbonato de lítio (u-hu, amei, fez toda a diferença)
    • Esse é um remédio clássico “para loucos e bipolares”, receitado há mais de 100 anos. Ainda não se sabe bem como funciona, mas fato é que funciona.
    • Ele corta os pensamentos extremos, como pensamentos suicidas e manias, e protege o sistema nervoso central de uma forma geral
    • Tomo a menor dose possivel – 300mg – e achei a maior maravilha do mundo. No primeiro dia que tomei, já me senti livre dos pensamentos terríveis. Recomendo fortemente pra quem está passando por isso.

Diz meu médico que eu já passei as duas primeiras etapas mais importantes do tratamento. Estou fora de risco.

A ideia é continuar com os remédios pra dormir (os dois primeiros, tarja preta) por mais 1 ou 2 meses, no máximo, e com os antidepressivos por de 6 meses a 1 ano. E daí, teoricamente, estarei CURADA e não precisarei tomar mais nada, nem de nenhum tipo de acompanhamento psiquiátrico. Isso tudo, claro, se eu continuar com o tratamento de psicoterapia (que estou fazendo intensivamente).

Bola pra frente.

Those moments will be lost in time…

Categorias: ...

Postado por Lux em: 07-07-2015

0

…like tears in the rain.

Protected: Front 242 ao vivo em São Paulo

Categorias: ...

Postado por Lux em: 25-04-2015

0

This content is password protected. To view it please enter your password below:

FILME#1006 – O Pacto / Horns

Categorias: ...

Tags: ,

Postado por Lux em: 28-01-2015

0

Screen Shot 2015-01-28 at 5.31.49 PM★★★★☆

Assisti Horns quase que por acidente – não sabia nada (nem que tinha o Harry Potter no filme, nem que era baseado em um best seller do filho do Stephen King). Foi melhor assim.

O clima todo do filme é absurdo, cheio de incoerências e situações impossíveis e, no entanto, todos (exceto o protagonista) lidam de forma extremamente natural com tudo. E assim, seguem os absurdos. No final de contas, é um filme com demônio, mas não sobre demônios. Muito divertido.

…Quer saber? Gostei. Não vou falar mais, pra não fazer spoilers – assistam, recomendo.

P.S.: Desculpem-me se o título do filme, em português, não for “O Pacto”. Foi o que achei agora na web.

Primeiras impressões da Bélgica

Categorias: ...

Postado por Lux em: 10-12-2014

0

image

Me parece que aqui ninguém está acostumado a pedir informações… todo mundo se vira com atendimentos eletrônicos e os serviços automáticos.

Até agora somente uma pessoa me atendeu mal e por incrível que pareça foi o carinha do balcão do visitbrussels.be, no aeroporto. Por ser um serviço para turistas, a gente poderia imaginar que seria o melhor atendimento. Doce ilusão! Consegui sair de lá com um mapinha e nenhuma informação adicional allem de “vá até o balcão e peça mais informações direto para o prestador do serviço.” (Trem, etc). Assim eles não se vendem.

A foto é da esteira que deveria ter trazido a minha bagagem. Como ela não chegava, fui procurar um balcão de atendimento, mas não existe um balcão da alitalia nem maiores informações. Tive que deduzir que era um serviço prestado por terceiros e procurá-lo (no caso, é a swissport. Achei o balcão e tive que chamar um funcionário tocando a campainha – não fica ninguém lá a sua disposição,  todos os balcões são desertos!

Depois desse ponto fui muito bem atendida e, até então, estou recebendo acompanhamento/atualização por email, então estou satisfeito. Vamos ver se a bagagem chega mesmo!

Mais tarde,  quando estiver frio demais pra ficar na rua,  atualizo com mais coisas: o vôo,  compra de chip,  trem,  primeira loja visitada.  Muita coisa interessante a comentar sobre tudo isso! Agora vou tentar comprar uma roupa – ja queria mesmo e como minha bagagem ficou pra presa, seria ótimo se eu conseguisse algo que presta.  E justo hoje tem inauguração duma loja “povāo”. Enfim,  vamos lá ver no que da!

Roma – puro bom gosto!

Categorias: ...

Postado por Lux em: 10-12-2014

0

Aviãozão

Categorias: ...

Tags:

Postado por Lux em: 09-12-2014

1

Começo agora a viagem :)

image

image

image

image

image

American Express

Categorias: ..., Coisas da minha cabeça

Tags: , , , , ,

Postado por Lux em: 26-01-2012

0

Hoje recebi um SMS pedido para ligar para a Central de Relacionamento do meu cartão amex com urgência. Urgência em termos, pois o SMS chegou atrasado e eu atrasei ainda mais pra ler. Assunto: suspeita de clonagem do cartão.

Depois de quase 20 minutos em uma ligação que estava sendo paga por mim mesma, soube que mesmo tendo reconhecido todas as compras, eu não teria outra opção a não ser inutilizar o cartão atual e esperar chegar um novo.

Até aí, ok… Melhor que correr o risco de aparecerem contas alienígenas na minha fatura. Não foi aí que eu me irritei. Foi quando perguntei se o novo cartão teria chip ou alguma segurança extra, e ouvi um grande e monossilábico não. Afinal, pra que, né?

Conclusão: em vez de aceitar a proposta de cartão platinum que recebo periodicamente, ou esperar chegar um novo cartão gold, cancelei meu cartão atual e pedi um novo green, que é o mais básico e com menor anuidade.

É, seus sanguessugas, pra arrancar anuidades exorbitantes de mim novamente, vocês terão de fazer algo impensável: dar benefícios decentes e segurança de gente grande.

Membership Rewards, que é a única coisa realmente boa do amex (um programa onde os pontos não expiram nunca), tem no cartão básico também, então fico com ele.

2011 – Lux @ Personal Life

Categorias: ..., Coisas da minha cabeça

Postado por Lux em: 31-12-2011

0

Enfim, o balanço da vidal pessoal… Comparando com a parte profissional, poderia dizer que a parte pessoal foi um desastre em 2011.

Ok, não comecem a resmungar que estou exagerando. Estou mesmo!

Vou resumir algumas coisas que me marcaram bastante ao longo do ano:

  • Conheci o gostinho da rejeição
  • Estive ao longo do ano com alguém que não amo, nem quero amar, e cuja recíproca é verdadeira
  • Me apaixonei por alguém impossível
  • Me afastei ainda mais do mundo real e das pessoas
  • Meu corpo não foi meu templo em 2011

O lado objetivo da vida, deu um pouco mais certo:

  • Viajei pra lugares bacanas – Trindade , Bolívia e algumas idas pro Rio de Janeiro
  • Fiz uma cirurgia para retirar a vesícula, e correu tudo maravilhosamente bem
  • Comecei a fazer Kung Fu, que eu queria fazer há muito tempo
  • Meu apê está começando a parecer um lar, e não um bunker
  • Emagreci 12 Kg, deixando só 4215 Kg pra perder em 2012

O gosto que 2011 deixa na boca, pra mim, é de sofrimento emocional, decepções, situações impossíveis, ou seja, um ano totally evil. Meço isso numa escala pluviométrica das lágrimas que cairam ao longo do ano…

Não diria que neste ano as coisas foram piores para mim, e por isso sofri tanto. Sofri porque voltei a sentir, saí de uma inércia emocional, de uma prisão em que eu mesma tinha me colocado há mais ou menos uns 5 anos. E aí tudo passou a doer.  Tenta fazer um exercício estando sem condicionamento físico pra ver se não vai doer. Na parte emocional não é muito diferente…

Não fico realmente triste por isto ter acontecido. De certa forma, acho que já era mesmo a hora.

Que fiquem então pra trás as coisas que me deixaram triste, e surjam pessoas e situações que me coloquem só pra cima, que me façam bem, e que me inspirem a retribuir. Sou sempre otimista, e quero pessoas assim perto de mim.

Assim, como resoluções para 2012, só tenho duas coisas a dizer:

  • Pretendo continuar no caminho e nas resoluções dos anos anteriores – não preciso inventar coisas novas nem criar um checklist maluco de coisas a fazer. O que refleti no passado ainda é verdade hoje, com a vantagem que não estou mais no marco zero em nenhuma das coisas decididas
  • Agora sim algo “novo”, desta virada: permitir que alguém entre nas muralhas que criei contra o mundo (mas só se valer a pena mesmo)

C’est ça.